DESPEDIDA *

quarta-feira, dezembro 16, 2009 3 comentários


Vai em paz , ó pai dos inquietos

Tu que me absorvestes tantos anos, me absolve agora

que te concedo ao seu José

Um catador que se alimenta de sobras fétidas,

cacos de consumo insensível

Ele que também tem na palavra um prato feito

enquanto espera quem lhe compre sucata

colhidas nas manhãs que independem de meteorologia

para levar arroz feijão e letras aos filhos

na idade das bolsas de comer e estudar.



* (Meu Aurélio que me acompanhava desde 1986 e agora se tornou irrecuperável)



3 comentários:

  • Lisa Alves disse...

    "Um catador que se alimenta de sobras fétidas,
    cacos de consumo insensível"

    "Apesar da miséria da matéria
    Que os consome com sede e fome
    Persiste a dignidade pulsante
    De lutar pela vida com honestidade
    na riqueza do lixo, impropriedade,
    Transformar sua verdadeira
    Em alimento d'existência" Mônicka Christi

Postar um comentário

Followers

 

©Copyright 2011 Sinestesia Cultural | TNB